outras imagens do produto

Aconteceu no Leste

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Não disponível

12,58 US$


Sumário

Livro capa mole

Detalhes

A guerrilha foi organizada com quadros formados nas regiões libertadas ou no exterior, já que poucos angolanos eram admitidos pelos colonialistas no seu exército, e cumpriu o seu papel nos primeiros anos de guerra em várias frentes. Embora fracamente armada, aplicou golpes duros no inimigo, ganhou experiência e evoluiu para formas superiores de organização”.

Características do Produto

Autor Não
Editora Chá de Caxinde
N.° da Edição 1
Ano de publicação 2008
Números de Páginas 216
Formato Livro capa mole
Língua Português
ISBN 9789728934750
País de origem Angola
Código 20013
Dimensão [cm] 21,9 x 19,9 x 1,2
Sobre o Autor Chamo-me José Domingos Francisco Tuta, nasci a 14 de Agosto de 1943, na localidade de Kulende, povoação do Soba Chikoka, Com una de Muié, Município dos Luchazes, Província do Moxico. Meu pai foi um simples camponês, assim como minha mãe. Inicieios meus estudos primários muito tarde na Missão Evangélica de Muié e numa dada altura quando ainda fazia a 2" classe, tive de abandonar a escola regressando para a aldeia de meu tio. Quando menos esperava, este disse-me o seguinte: "Tens duas opções a fazer, regressar para a escola agora mesmo ou fazer uma viagem comigo, cuja data de regresso aqui na aldeia ninguém sabe, pois vamos à procura de negócio de cera. Mas cá na aldeia asseguro-te que não vais ficar". Pensei em regressar à escola, mas quando me lembrava da qualidade de alimentação que comíamos todos os dias, preferi viajar com ele, já que na aldeia não ia ficar. Fiz aquela viagem que demorou quase dois meses. De regresso peguei em mim e fui para a Missão apresentar-se ao Senhor Leonard Brain, Director. Nessa altura estava a fazer a vez dele o Senhor Filipe. Sancionou-me e havia perdido o ano lectivo. De 1956 à 1958, estudei a sério mas com um atraso considerável. Porém, caso contínuo, dois anos mais tarde e acompanhado de meu irmão Manuel Francisco Tuta, voltaríamos a abandonar novamente a Missão e dessa vez, fugimos para a aldeia do nosso pai que ficava um pouco distante da sede comunal. A história repetiu-se. O velho tinha preparado a viagem dele sem contar connosco e mal aparecemos, juntou-nos ao grupo e viajamos sem querer. De regresso para a aldeia, lá estava uma encomenda deixada pelo cipaio do Senhor Administrador do Posto avisando o Velho para acompanhar-nos para o Posto. O Velho muito zangado não nos fez esperar. Partimos na manhã seguinte para o Posto. O Senhor Leonard Brain, Director da Missão, tinha levado a queixa ao Chefe do Posto. Uma vez mais castigados pelo Senhor Administrador, advertiu o Velho para não voltar a repetir-se. Desde essa data permanecemos sempre na Missão até chegar a ponto de começar a ter uma visão global da diferença que havia e da realidade objectiva dos fenómenos do dia a dia. Fiz-me de professor Auxiliar da Escola de Missão, dada a carência de professores titulares. Os ventos de liberdade não se fizeram esperar, em 1966 em Dezembro, começam os boatos e mujimbos da existência dos guerrilheiros do MPLA na zona de Chikului. Uma tremenda agitação se deu naquela altura que conduziria mais tarde ao abandono definitivo da Povoação do Muié em massa e já em Maio de 1967, ingressava nas fileiras do Movimento Popular de Libertação de Angola, tendo nessa altura optado pelo nome de guerra "Ouro de Angola", iniciando desta forma a minha modesta contribuição na Luta de Libertação nacional. José Domingos Francisco Tuta
Categoria Memórias » Descobre mais nessa categoria