outras imagens do produto

No Percurso de Guerras Coloniais (1961 - 1969)

Mário Moutinho de Pádua

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Não disponível

15,73 US$


Sumário

Livro capa mole

Características do Produto

Autor Mário Moutinho de Pádua
Editora Chá de Caxinde
N.° da Edição 1
Ano de publicação 2011
Números de Páginas 205
Formato Livro capa mole
Língua Português
ISBN 9789898498069
País de origem Angola
Código 20079
Dimensão [cm] 22 x 20 x 1
Sobre o Autor Mário Moutinho de Pádua nasceu em Lisboa a 3-10-1935. Aos 8 anos emigrou com os pais e o irmão para Angola, tendo a família fixado residência em Benguela. Aos 10 anos matriculou-se no liceu do Lubango onde se manteve até aos 13. Transferiu-se então para Portugal. Voltou a Angola dois anos depois, desta vez para o liceu de Luanda onde os pais se encontravam. Aos 17 anos iniciou o curso de Medicina em Lisboa que terminou em 1960-Janeiro de 61. Convocado para o serviço militar foi enviado para Angola em Abril de 1961 com o posto de alferes médico. Desertou do exército colonial em Outubro de 1961 pedindo asilo político no Congo-Kinshasa, asilo que só lhe foi concedido em Fevereiro de 1962, tendo ficado preso até esta data. Pouco depois tornou-se assistente de especialidade no Hospital de Lovanium. Do Congo viajou para a Checoslováquia em Setembro de 1963. Seis meses depois seguiu para a Argélia onde trabalhou no Hospital de Mustapha até Fevereiro de 1967. Na Argélia fez parte da Frente Patriótica de Libertação de Portugal. Em Fevereiro de 1967 começa a prestar a sua colaboração profissional ao PAIGC. A maior parte deste serviço ocorreu no "Lar" (Hospital) do Partido em Ziguinchor, no Senegal, perto da fronteira com a Guiné-Bissau. Em Setembro de 1969 parte para França, onde durante 5 anos efectua os estudos de especialidade e trabalha num hospital dos arredores de Paris. Em Novembro de 1974 regressa a Portugal. Aqui termina o serviço militar e exerce actividade médica em Centros de Saúde e no Hospital de Pulido Valente em Lisboa de onde se aposenta em 2003. Mário Moutinho de Pádua nasceu em Lisboa a 3-10-1935. Aos 8 anos emigrou com os pais e o irmão para Angola, tendo a família fixado residência em Benguela. Aos 10 anos matriculou-se no liceu do Lubango onde se manteve até aos 13. Transferiu-se então para Portugal. Voltou a Angola dois anos depois, desta vez para o liceu de Luanda onde os pais se encontravam. Aos 17 anos iniciou o curso de Medicina em Lisboa que terminou em 1960-Janeiro de 61. Convocado para o serviço militar foi enviado para Angola em Abril de 1961 com o posto de alferes médico. Desertou do exército colonial em Outubro de 1961 pedindo asilo político no Congo-Kinshasa, asilo que só lhe foi concedido em Fevereiro de 1962, tendo ficado preso até esta data. Pouco depois tornou-se assistente de especialidade no Hospital de Lovanium. Do Congo viajou para a Checoslováquia em Setembro de 1963. Seis meses depois seguiu para a Argélia onde trabalhou no Hospital de Mustapha até Fevereiro de 1967. Na Argélia fez parte da Frente Patriótica de Libertação de Portugal. Em Fevereiro de 1967 começa a prestar a sua colaboração profissional ao PAIGC. A maior parte deste serviço ocorreu no "Lar" (Hospital) do Partido em Ziguinchor, no Senegal, perto da fronteira com a Guiné-Bissau. Em Setembro de 1969 parte para França, onde durante 5 anos efectua os estudos de especialidade e trabalha num hospital dos arredores de Paris. Em Novembro de 1974 regressa a Portugal. Aqui termina o serviço militar e exerce actividade médica em Centros de Saúde e no Hospital de Pulido Valente em Lisboa de onde se aposenta em 2003. Mário Moutinho de Pádua nasceu em Lisboa a 3-10-1935. Aos 8 anos emigrou com os pais e o irmão para Angola, tendo a família fixado residência em Benguela. Aos 10 anos matriculou-se no liceu do Lubango onde se manteve até aos 13. Transferiu-se então para Portugal. Voltou a Angola dois anos depois, desta vez para o liceu de Luanda onde os pais se encontravam. Aos 17 anos iniciou o curso de Medicina em Lisboa que terminou em 1960-Janeiro de 61. Convocado para o serviço militar foi enviado para Angola em Abril de 1961 com o posto de alferes médico. Desertou do exército colonial em Outubro de 1961 pedindo asilo político no Congo-Kinshasa, asilo que só lhe foi concedido em Fevereiro de 1962, tendo ficado preso até esta data. Pouco depois tornou-se assistente de especialidade no Hospital de Lovanium. Do Congo viajou para a Checoslováquia em Setembro de 1963. Seis meses depois seguiu para a Argélia onde trabalhou no Hospital de Mustapha até Fevereiro de 1967. Na Argélia fez parte da Frente Patriótica de Libertação de Portugal. Em Fevereiro de 1967 começa a prestar a sua colaboração profissional ao PAIGC. A maior parte deste serviço ocorreu no "Lar" (Hospital) do Partido em Ziguinchor, no Senegal, perto da fronteira com a Guiné-Bissau. Em Setembro de 1969 parte para França, onde durante 5 anos efectua os estudos de especialidade e trabalha num hospital dos arredores de Paris. Em Novembro de 1974 regressa a Portugal. Aqui termina o serviço militar e exerce actividade médica em Centros de Saúde e no Hospital de Pulido Valente em Lisboa de onde se aposenta em 2003. Mário Moutinho de Pádua nasceu em Lisboa a 3-10-1935. Aos 8 anos emigrou com os pais e o irmão para Angola, tendo a família fixado residência em Benguela. Aos 10 anos matriculou-se no liceu do Lubango onde se manteve até aos 13. Transferiu-se então para Portugal. Voltou a Angola dois anos depois, desta vez para o liceu de Luanda onde os pais se encontravam. Aos 17 anos iniciou o curso de Medicina em Lisboa que terminou em 1960-Janeiro de 61. Convocado para o serviço militar foi enviado para Angola em Abril de 1961 com o posto de alferes médico. Desertou do exército colonial em Outubro de 1961 pedindo asilo político no Congo-Kinshasa, asilo que só lhe foi concedido em Fevereiro de 1962, tendo ficado preso até esta data. Pouco depois tornou-se assistente de especialidade no Hospital de Lovanium. Do Congo viajou para a Checoslováquia em Setembro de 1963. Seis meses depois seguiu para a Argélia onde trabalhou no Hospital de Mustapha até Fevereiro de 1967. Na Argélia fez parte da Frente Patriótica de Libertação de Portugal. Em Fevereiro de 1967 começa a prestar a sua colaboração profissional ao PAIGC. A maior parte deste serviço ocorreu no "Lar" (Hospital) do Partido em Ziguinchor, no Senegal, perto da fronteira com a Guiné-Bissau. Em Setembro de 1969 parte para França, onde durante 5 anos efectua os estudos de especialidade e trabalha num hospital dos arredores de Paris. Em Novembro de 1974 regressa a Portugal. Aqui termina o serviço militar e exerce actividade médica em Centros de Saúde e no Hospital de Pulido Valente em Lisboa de onde se aposenta em 2003.
Categoria Memórias » Descobre mais nessa categoria