outras imagens do produto

Os discursos do mestre tamoda

Uanhenga Xitu

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Disponível

15,73 US$

Data estimativa de entrega
Depende do Serviço / Veja informações de envio

Data estimativa de despacho
14/12/2016 - 16/12/2016


Sumário

Livro capa mole

Detalhes

Não será ainda novidade, neste livro, a tendência que a escrita de Uanhenga Xitu manifesta para explicações e os excursas etnográficos e antropológicos, demonstrando a desenvoltura com que o autor se movimenta por esses terrenos, além de evidenciar o compromisso entre a tradição e a modernidade que toda a obra uanhenguiana procura, de algo modo, resolver. Não é, porém, o facto de, pela primeira vez, este escritor penetrar no mundo da burguesia colonial de Angola, dando-nos conta duma certa vivência luandense dos anos ‘40 e ’50, explorando as suas contradições e o seu modo de relacionamento com a comunidade indígena e com os seus costumes. Esta viagem ao interior duma casa burguesa colonial leva o autor a passar pelo Amor de Perdição colhendo aí certos traços comportamentais em Mariana, que Camilo tão bem melodramatizou, para atribuí-los a Arlete. Novidade é também o aproveitamento da solidariedade estudantil e de um padre esclarecido no combate às barreiras étnicas e sociais que subjaziam à sociedade colonial angolana.

Características do Produto

Autor Uanhenga Xitu
Editora Mayamba
N.° da Edição 1
Ano de publicação 2014
Números de Páginas 184
Formato Livro capa mole
Língua Português
ISBN 9789898370105
País de origem Angola
Código 40107
Dimensão [cm] 23 x 15,4 x 1
Peso [kg] 0.4000
Sobre o Autor UANHENGA XITU é o pseudónimo literário de Agostinho André Mendes de Carvalho. Nasceu em Kalomboloca, Ikolo e Bengo, a 29 de Agosto de 1924. Fez os seus estudos primários e secundários em Luanda. Fez o curso de enfermagem em Luanda, profissão que exerceu durante muitos anos deslocando-se por todo o país, que conhece bem. Fez estudos em Ciências Políticas na Alemanha (Ex-RDA). Em 1959 foi preso, tendo feito parte do chamado "Processo dos 50" e enviado para o Tarrafal onde permaneceu de 1962 a 1970. Após a independência foi Membro do Conselho da Revolução, Comissário (Governador) da Província de Luanda, Ministro da Saúde de Angola, Embaixador de Angola na República da Polónia. Foi membro da União dos Escritores Angolanos e enquanto preso político foi na cadeia onde começou a escrever os seus contos, tendo para isso sido aconselhado por alguns dos seus colegas e amigos de prisão como António Cardoso e António Jacinto. E antes de seu passamento físico no ano de 2014 exercia o cargo de Deputado a Assembleia Nacional pela Bancada do MPLA, tendo sido membro do Comité Central do MPLA até 1998.
Categoria Contos » Descobre mais nessa categoria