outras imagens do produto

Rezemos Uns pelos Outros

Papa Francisco

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Disponível

12,58 US$

Data estimativa de entrega
Depende do Serviço / Veja informações de envio

Data estimativa de despacho
02/05/2017 - 04/05/2017


Sumário

Livro capa mole

Detalhes

«E agora iniciamos este caminho, bispo e povo...este caminho da Igreja de Roma, que é aquela que preside a todas as Igrejas na caridade. Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós. Rezemos sempre uns pelos outros. Rezemos por todo o mundo, para que haja uma grande fraternidade.»

Características do Produto

Autor Papa Francisco
Editora Mayamba
N.° da Edição 1
Ano de publicação 2013
Números de Páginas 88
Formato Livro capa mole
Língua Português
ISBN 9789898516619
País de origem Angola
Código 40095
Dimensão [cm] 23 x 14,5 x 0,7
Sobre o Autor Jorge Mario Bergoglio (Papa Francisco) é o primeiro Papa oriundo da América. Nasceu em Buenos Aires, na Argentina, a 17 de Dezembro de 1936, filho de emigrantes piomonteses: o seu pai, Mario, era contabilista dos caminhos de ferro, enquanto a sua mãe, Regina Sivori, se ocupava da casa e da educação dos cinco filhos do casal. Formou-se como técnico químico, mas escolheu depois o caminho do sacerdócio e entrou para o Seminário de Villa Devoto. A 11 de Março de 1958, passou para o noviciado da Companhia de Jesus. Completou os seus estudos humanitários no Chile e, em 1963, regressou à Argentina, onde se licenciou em Filosofia no Colégio de São José, em São Miguel. Em 1964 e 1965, foi professor de Literatura e Psicologia no Colégio da Imaculada de Santa Fé e, em 1966, ensinou as mesmas matérias no Colégio do Salvador, em Buenos Aires. De 1967 a 1970, estudou Teologia, tendo-se licenciado em Teologia no Colégio de São José. A 13 de Dezembro de 1969, foi ordenado sacerdote pelo arcebispo Ramón José Catellano. Entre 1970 e 1971, prosseguiu os seus estudos em Alcalás de Henares, em Espanha, e no dia 22 de Abril de 1973 fez votos perpétuos na Companhia de Jesus. De regresso à Argentina, foi mestre de noviços em Villa Barilari, São Miguel (1972-1973), professor na Faculdade de Teologia, consultor da província da Companhia de Jesus e reitor do Colégio. A 31 de Julho de 1973, foi eleito provincial dos jesuítas da Argentina, cargo que desempenhou durante seis anos. Entre 1980 e 1986, viajou para a Alemanha, para completar a sua tese de doutoramento. Os seus superiores enviaram-no para o Colégio do Salvador em Buenos Aires e depois para a igreja da Companhia de Jesus na cidade de Córdova, como director espiritual e confessor. Desejando o cardeal Antonio Quarracino tomá-lo com seu estreito colaborador em Buenos Aires, a 20 de Maio de 1992 João Paulo II nomeou-o bispo titular de Aura e auxiliar de Buenos Aires. A 27 de Junho do mesmo ano, recebeu na Catedral de Buenos Aires a ordenação episcopal das mãos do próprio cardeal. O mote que escolheu foi «miserando ataque eligendo», tendo inscrito no brasão o cristograma IHS, símbolo da Companhia de Jesus. Foi então nomeado vigário episcopal da zona de Flores e, a 21 de Dezembro de 1993, tornou-se vigário-geral da arquidiocese. A 3 de Junho de 1997, foi promovido a arcebispo coadjutor de Buenos Aires. Decorridos apenas nove meses sobre a morte do cardeal Quarracino, a 28 de Fevereiro de 1998, sucedeu-lhe como primaz da Argentina, como ordinário para fiéis de rito oriental residentes naquele país e como magno chanceler da Universidade Católica. No Consistório de 21 de Fevereiro de 2001, João Paulo II fê-lo cardeal, com o título de São Roberto Bellarmino. Em Outubro de 2001, foi nomeado relator-geral junto da X Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, dedicada ao ministério episcopal. Em 2002 declinou a nomeação para presidente da Conferência Episcopal Argentina, mas três anos depois foi eleito, e confirmado por mais um triénio em 2008. Entretanto, em 2005, participou no conclave que elegeu Bento XVI. Em Setembro de 2009, lançou a nível nacional a campanha de solidariedade aquando do bicentenário da independência da Argentina: 200 obras de caridade a realizar até 2016. E, em vista do continente sul-americano, alimente uma forte esperança quanto à mensagem da Conferência de Aparecida, de 2007, chegando a defini-la com a Evangelii Nuntiandi da América Latina. A 13 de Março de 2013, Jorge Mario Bergoglio foi eleito Papa durante o segundo dia do Conclave, ao quinto escrutínio. Escolheu o nome de Francisco. Na quarta-feira dia 19 de Março, celebrou Missa na Praça de São Pedro (Santa Missa de Imposição do Pálio e Entrega do Anel do Pescador), inaugurando assim o Ministério Petrino.
Categoria Religião » Descobre mais nessa categoria