outras imagens do produto

Simão Toko. O nacionalista da Paz em Angola

Patricio Batsikama

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Disponível

18,87 US$

Data estimativa de entrega
Depende do Serviço / Veja informações de envio

Data estimativa de despacho
26/09/2017 - 28/09/2017


Sumário

Livro - Capa Cartolina

Detalhes

Do ponto de vista filosófico, o tokoismo é o cultivo de higiene ontológica em cada constituinte social para celebração colectiva da Paz, através da aceitação mútua das diferenças, na vontade de construir um acordo dialógico.

Introdução

É um dever moral e cívico reconstruir as figuras históricas que deram a sua vida para a edificação dos valores que constituem Angola de hoje. O profeta Simão Gonçalves Toko é uma delas, pois a sua contribuição é considerável por estar na linha dianteira da Luta de Libertação de Angola numa altura em que não existia nenhuma das organizações políticas angolanas tradicionais (MPLA, UPA/FNLA e UNITA). Também, o nacionalismo defendido por ele é, talvez, o único que indica a construção do Estado-Nação em Angola.

Não nos interessa, aqui, trazer uma biografia, pois não é tarefa fácil mesmo para um conjunto de especialistas. Partilharemos o que percebemos quando optámos por estudar o "tokoismo" na sua vertente filosófica. Neste trabalho apresentaremos ao leitor o "nacionalista da Paz", de forma objectiva e sucinta.

O primeiro capítulo resume-se a uma análise antropológica das condições natalícias. O local de nascimento, o nome recebido depois do parto, a linhagem a que pertence, assim como o topónimo da aldeia onde nasceu.

O segundo capítulo; aborda o modo como o cristianismo se instalou em Angola, facto que sequenciou Portugal como colonizador. A seguir, apresentaremos uma breve nota biográfica, estando esta limitada ao percurso feito desde Kibokolo até Vale de Loge, o que explica já a missão de profeta ético de Simão Toko num contexto histórico da Luta pela Libertação de Angola. No fim, analisaremos com base nos documentos e nos factos registados, o seu "nacionalismo da Paz".

No último capítulo, interessou-nos falar da teologia tokoista, não como já estruturada e explicada. Duas razões levaram-nos a tocar nesse assunto: (i) é possível uma teologia tokoista, afirmação assente nos suportes imateriais e materiais que explicam toda a funcionalidade teológica de uma doutrina; (ii) compreende-se mais ainda o nacionalismo da Paz com a teologia tokoista já estudada e discutida, qualitativa e quantitativamente.

Como se pode verificar, o nosso texto é uma simples sistematização de várias curiosidades, que nos permitem perceber a importância desta ilustre figura histórica angolana. Aproveitamos para subscrever o nome dele, enquanto profeta ético, entre vários outros que o Governo angolano prevê dignificar para fortalecimento da Nação angolana.

Para alcançar os objectivos deste texto, consultámos inúmeros documentos sobre Simão Toko e o tokoismo, que encontrámos no Instituto Nacional de Torre do Tombo. Relativamente ao nacionalismo, consideramos que urgia resumir os principais clássicos sobre o tema, além de aproveitar os inquéritos que utilizámos na elaboração da nossa tese de Doutoramento. A entrevista, para completar os elementos simbólicos do tokoismo é uma amostra que servirá para estudos posteriores.

Assim sendo, os resultados que obtivemos, encontram-se expressos numa linguagem de fácil compreensão e têm como objectivo fomentar, por um lado, o debate entre os académicos. Por outro, o texto destina-se a todos, e serve de uma apostila para compreender o "nacionalismo da Paz" que a sociedade precisa cultivar.
O debate está aberto.

Características do Produto

Autor Patricio Batsikama
Editora Mediapress
N.° da Edição 1
Ano de publicação 2016
Números de Páginas 124
Formato Livro
Língua Português
ISBN Não
País de origem Angola
Código 81003
Dimensão [cm] 23,5 x 15 x 0,7
Sobre o Autor

Patrício Batsîkama

Natural de Makela ma Zômbo (da linhagem Ñtûmb'a Mvêmb'a Ñzînga) a Kibokolo. Bacharel em História, especializada em Filosofia e História da Arte, Mestrado em História, Doutorado em Antropologia, é autor da teoria sobre Etonismo e da trilogia sobre As origens do reino do Kôngo. Mais de uma dúzia dos seus artigos são publicados em revistas científicas das Universidades UFRJ, UFPA, UFOP, entre outro. Apresentou comunicações em várias universidades Universidade de Kansas, Universidade de Columbia/Nova Iorque, Universidade de Florida, Universidade de Texas em Austin, Universidade Agostinho Neto, Universidade Nacional de Seul, Universidade Técnica de Leste em Ancara, IMETRO/Luanda, Universidade de Lisboa, ISCED/Luanda, ISCED/Huambo, etc. É professor de "História das Artes Africanas" e de Lógica na Universidade Agostinho Neto, Faculdade de Ciências Socais.

Livros publicados
  • 2009: Etonismo ou a filosofia de arte sobre a razão tolerante, Luanda: Pensador
  • 2010: As origens do reino do Kôngo, Luanda: Mayamba
  • 2011: O reino do Kôngo e a sua origem meridional, Luanda: universidade editora
  • 2012: Reino do Kongo consoante a Tradição Oral e a sua Bibliografia, Paraíba: UFPBA
  • 2014: Lûmbu: a democracia no antigo reino do Kôngo, Luanda: Mediapress
  • 2014: Lûmbu: a democracia no antigo reino do Kôngo, São Paulo: Casa Cultura
  • 2014: Makela ma Zômbo. Das origens até a criação da circunscrição em 1911, Luanda: Mediapress
  • 2014: Introdução à História das Artes em África, Luanda: Mayamba
  • 2014: José Eduardo dos Santos e a Ideia de Nação angolana, Luanda: Mediapress
  • 2015: José Eduardo dos Santos e a Ideia de Nação angolana, Milão: Expo 2015
  • 2015: A Lógica no ofício do Historiador angolano, Luanda. Vatûnga
  • 2015: Diálogo estéticos angolanos, Luanda: Mediapress
  • 2016: Simão Toko. O Nacionalista da Paz em Angola, Luanda: Mediapress
  • Categoria Antropologia » Descobre mais nessa categoria